12 de janeiro de 2015

Eike causou prejuízo bilionário a bancos, diz jornal

Data: 25/08/2010<br />Editoria: Valor Investe<br />Reporter: Vera Durao, Claudia Schuffner, Francisco Goes<br />Local: Rio de janeiro<br />Pauta: Entrevista Eike Batista<br />Setor: Empresa, petroleo, gas, siderurgica, porto, eike, ogx<br />Personagem: Eike Batista, empresario<br />Fotos: Aline Massuca/Valor <br />

 

Os bancos foram um dos maiores perdedores com a queda de Eike Batista e suas empresas. Segundo cálculo da Folha de S. Paulo, os bancos tiveram prejuízo de 7,9 bilhões de reais por causa do empresário; o valor é quase 30% do prejuízo causado na praça.

O banco que mais perdeu, segundo o jornal, foi o Itaú BBA (R$ 2,4 bilhões), seguido pelo BTG (R$ 919 milhões), e o Votorantim (R$ 588 milhões). Este prejuízo foi calculado levando em conta os pedidos de recuperação judicial das empresas OGX, OSX, Eneva e MMX e as dívidas da holding EBX.

A recuperação judicial da Eneva foi um dos principais problemas dos bancos, já que a empresa pediu recuperação com dívida de R$ 2,3 bilhões. Segundo a publicação, os bancos ainda têm esperanças em diminuir esses prejuízos, tentando tirar alguns projetos do papel.

Eike Batista chegou a estar entre os dez homens mais ricos do mundo em vários rankings internacionais. De bilionário Eike passou a "classe média" quando suas empresas começaram a entrar em recuperação judicial.

No final do ano passado, o empresário começou a ser julgado em uma ação penal, acusado de crimes contra o mercado de capitais.

Também no ano passado, fechou um acordo com seu principal credor, o fundo soberano Mubadala e pelo acerto recebe um valor anual de US$ 5 milhões, até 2018.

0 comentários:

Postar um comentário

SUA OPNIÃO É MUITO IMPORTANTE!