10 de agosto de 2012

“Orlandina financiava o cativeiro de Popó Porcino”, diz delegada Sheila Freitas

A sexta pessoa presa acusada de participar do sequestro do jovem Popó Porcino, identificada como Orlandina Torres Carneiro, foi a responsável por sustentar os cativeiros onde a vítima foi mantida presa durante 37 dias. De acordo com a delegada Sheila Freitas, do Departamento Especializado em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor), Orlandina teria feito a locação dos cativeiros em Parnamirim e na Praia de Pitangui, no município de Extremoz, este último onde a vítima foi resgatada no dia 24 de julho.
“Ela foi a responsável por fazer o aluguel dos dois cativeiros e também era a responsável por abastecer com comida o local onde Popó estava mantido preso”, disse a delegada em coletiva na tarde desta quinta-feira (9).
Orlandina foi presa nesta quarta (8), no Ceará, por uma equipe do Deicor, durante o velório de uma sobrinha. “Nós já tínhamos informações de que ela havia visitado esse familiar na UTI na semana passada, mas estávamos esperando o melhor momento para efetuar a prisão”, disse.

Ainda de acordo com Sheila Freitas, Orlandina é parceira de Paulo Victor no mundo do crime e eles se tratavam como irmãos. A acusada morava em Natal há mais de um ano e praticava crime de estelionato nos estados vizinhos da Paraíba e Pernambuco, dinheiro que supostamente foi usado para manter o cativeiro. Apesar da parceria entre os dois, Orlandina chegou a declarar que Paulo Victor foi o mentor do sequestro. Sheila disse que Orlandina tinha mudado a aparência para tentar despistar a polícia. “Ela cortou e pintou o cabelo de preto. Até o jeito de se vestir ela mudou”.

A delegada informou também que novos integrantes da quadrilha devem ser presos nos próximos dias e que alguns pontos do sequestro foram elucidados devido um dos sequestradores – ainda foragido e com a identidade mantida em sigilo – ter denunciado o bando por não concordar com a maneira como a vítima era tratada por Francisco Genério Bruno da Silva, morto durante a invasão.Nove suspeitos foram indiciados. “Recebemos essas informações através de denúncia anônima e logo verificamos que essa pessoa teria envolvimento no sequestro também. Ela nos passou informações estratégicas que nos ajudaram a chegar até Orlandina, e novos envolvidos também serão presos nos próximos dias, inclusive estamos à procura dessa pessoa que fez a denúncia”, ressaltou a delegada. A polícia busca prender Leonora Gomes de Sena, esposa de José Orlando, e outra mulher identificada como Antônia Berenice Damasceno Lima.

0 comentários:

Postar um comentário

SUA OPNIÃO É MUITO IMPORTANTE!